• outubro 21, 2020

Animais de estimação não transmitem coronavírus, afirma CRMV-BA

 Animais de estimação não transmitem coronavírus, afirma CRMV-BA

Foto: Reprodução

Compartilhe

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19), vem gerando muitas dúvidas, assim como algumas fake news tem sido disseminadas. Uma delas diz respeito a transmissão do Covid-19 pelos animais de estimação. No entanto, esta é uma informação falsa.

Conforme uma declaração realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), não há relatos de que animais de estimação, como cães ou gatos, que possam ser infectados e capazes de transmitir o Covid-19.

Segundo a OMS, até o momento, o risco de transmissão de animais de estimação para humanos não existe.

Bahia

Na Bahia, já foram registrados até o último balanço divulgado pela Secretaria do Estado da Bahia (Sesab), nesta sexta-feira, 32 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado da Bahia (CRMV-BA), os pets não transmitem o vírus. Segundo nota emitida pelo órgão, “tanto cães quanto gatos são, eventualmente, acometidos por alguns tipos de coronavírus, diferentes dos que afetam os seres humanos. No caso dos cães, existe até vacina, mas ela só protege os caninos e, portanto, não deve ser utilizada em humanos”.

Caso na China

A China, o primeiro país a relatar sobre o vírus, teve um caso em que um cão foi contaminado pela sua tutora (que apresentava diagnóstico positivo para a Covid-19). No entanto, este foi um caso isolado e, mesmo assim, o animal não adoeceu e tampouco foi capaz de retransmitir a doença.

Cuidados com os pets durante a pandemia

Muitos tutores de pets estão com dúvidas sobre os cuidados a serem tomadas durante a quarentena recomendada pelos órgãos de saúde em muitas cidades, como é o exemplo de Salvador.

  • Abandono: Antes de tudo, a população deve ficar ciente que o abandono e os maus-tratos são práticas caracterizadas como crime, e a denúncia deve ser feita na Delegacia de Polícia ou no Ministério Público.

As Secretarias de Meio Ambiente e o Ibama também podem ser acionados, especialmente quando as condições de maus-tratos afetam animais selvagens, silvestres e espécies exóticas. As denúncias podem ser feitas gratuitamente, pelo telefone 0800 61 8080 ou pelo e-mail linhaverde.sede@ibama.gov.br.

  • Veterinário: Se seu pet estiver doente ou precisar ir ao veterinário, é preciso estar atento quanto a algumas prevenções a serem adotadas. Antes de ir ao hospital ou clínica veterinária, certifique-se de que está ocorrendo atendimento por hora marcada, assim você evita aglomerações.

Respeite a quarentena, e só saia de casa em caso de emergência.

Atenção redobrada quanto aos cuidados com a higiene: certifique-se que o veterinário esteja usando luvas, jaleco, máscara e que todo o material seja descartável.

  • Passeios: os tutores têm o hábito de passear com seus animais, principalmente cães, para que os mesmos possam fazer suas necessidades. As saídas ao ar livre são recomendadas, especialmente para aliviar o estresse do animal. Mas atenção é pouca.

Certifique-se que as saídas sejam curtas e próximas à residência.

Evite que o animal tenha contato com outros animais. Por isso, procure lugares e horários mais tranquilos.

Animais devem ser acompanhados de apenas um tutor. E lembre-se de recolher as fezes do animal e descartar no lixo.

Redação Tome

Matérias Relacionadas