• julho 28, 2021

Artistas realizam Ato Performance pela Paz e Contra a Tortura da população negra, no Curuzu nesta sexta-feira (13)

 Artistas realizam Ato Performance pela Paz e Contra a Tortura da população negra, no Curuzu nesta sexta-feira (13)
Compartilhe

O ato criado e organizado por artistas independentes se propõe ser uma denúncia contra a tortura histórica da população negra em Salvador e um pleito as autoridades pela ampla divulgação do direito de filmar a abordagem de qualquer segurança e/ou policial.

A performance/protesto Pela Paz, Contra a Tortura da População Negra acontecerá através de uma intervenção artística, utilizando as linguagens do teatro, dança, música, grafite e audiovisual, envolvendo toda a comunidade local em um formato de um espetáculo itinerante, nesta sexta feira (13) às 15h no canteiro de obras da ladeira do Curuzu (concentração na frente da sede do Ilê), para repudiar a tortura da população negra e pelo direito de gravar as abordagens policiais em legítima e irrestrita garantia dos direitos humanos.

Salvador vem testemunhando através de diversos “vídeos denuncia” mostrando o abuso de poder da polícia, assim, como a infração de direitos humanos em suas violentas abordagens. Nos últimos anos a imprensa veiculou notícias sobre diversas situações de ódio, tais como: homem agredido por filmar corpo em cena de crime em Itinga; grávida espancada no Santo Antônio Além do Carmo; constrangimento ilegal e abuso de autoridade contra empresário agredido em agência bancária; jovem sofre com abordagem truculenta em Paripe. O que é comum entre todos os casos o abuso de poder de alguns membros da instituição policial.

“Nesta sexta-feira faremos o ato do ‘Belo contra a Barbárie’ , do ‘Belo contra a tortura’ , do ‘Belo contra o genocídio’. A arte fazendo comunhão com o povo despertando consciência, unificando laços e rompendo as grades da ilusão”, destaca o ator, diretor e dramaturgo Ângelo Flávio, um dos idealizadores do Ato.

Também integram o coletivo independente, Everton Machado, Heron Sena, Tânia Toko, Fabrício Boliveira, Leno Sacramento, Edvana Carvalho a Nildinha Fonseca.

“Exigimos como cidadãos, que no Estado da Bahia tenhamos o pleno direito de filmar abordagens policiais para coibir o uso abusivo da força”, destaca o artista e também organizador, Heron Sena.

Apoiam a ação o Ilê Aiyê, o Instituto Mídia Étnica, a Mahin – Organização de Mulheres Negras, Associação de Moradores do Curuzu e à comunidade local.

O quê?
ATO PERFORMANCE “Pela paz, contra a tortura da população negra”
Quando?

Sexta feira, 13/03 às 15h

Onde?

Local: CURUZU, Liberdade.
Concentração: canteiro de obras em frente à Sede do Ilê , às 15h

Redação

redacao@tomenoticia.com.br

Matérias Relacionadas

Compartilhar

O seu endereço de e-mail não será publicado.